O Pranto murmura ao Silêncio Com seu doce infinito sopro profundo O Silêncio escuta e depois afirmando Que o Pranto é solidão no seu próprio mundo Este Pranto esquecido, apaixonado, vai se calando Por um Coração sem medo, corajoso e absurdo Vai achando que o Pranto na verdade está rindo Ele ri da verdade gargalha … Sigue leyendo

Ideias pela metade

Se tão só fosse todo mundo Quanto egoísmo existira? Qual amor que eu sentisse teria? Nesse meu fantástico absurdo? Patética esta hipotética de vida Sem esquecer a pessoa que não somos. Mas com toda força queremos sê-la Vivemos de uma irrealidade perdida Pelo que têm as pessoas Como reconhecer tanta mediocridade Indubitável, bonito e incerto … Sigue leyendo Ideias pela metade

Sou tua

Que impreciso é este momento Lê-lo com todo seu acento Reconhecer o meu herói no entanto Ser a tua mulher dos dias em seu bravo espanto. Há tantas coisa a falar (e o que dizer?) Hei de mostrar, será? Não quero falar deste instante A minha glória é só pensar --- .... ---- direi, certamente … Sigue leyendo Sou tua